• Viva Rio’s project brings Two Haitian athletes to Brazil São Paulo’s soccer team

    Haiti: Viva Rio’s project brings football stars to Brazil


    Before arriving to São Paulo, the two young players visit the Viva Rio headquarters at Rio de Janeiro

    Two Haitian athletes from Viva Rio Haiti’s Black Pearl Football Academy were selected to join São Paulo’s soccer team, Centro de Treinamento Audax São Paulo Esporte Clube. Jasinthe Ricardo, 17, and Mackenson Fenelon, 14, will receive training and participate in the 2012 São Paulo Juniors Cup.

    They were selected by the coach and executive manager of Audax, Thiago Scuro, who visited Haiti earlier this year. He praised the talent of the two young Haitian athletes, as well as that of the other athletes at the Black Pearl Football Academy.

    Mackenson will play for the teenage league, while Ricardo will be part of the youth league. The two players will play at the the biggest football competition for each of their category, the São Paulo Juniors Cup, during which numerous young athlets have been discovered for professional Brazilian football.

    Both athletes arrived in Brazil on September 23 and they will be staying indefinitely, depending on the caliber of their field performance and adaptation to the new country.

    Meet the stars of the Black Pearl Football Academy:

    The son of a football coach, Mackenson Fenelon, 14, was practically born with a ball close to his feet. His passion for football started at a young age, when he used to accompany his father to his practices with the Juvená team, a local team from Port au Prince. In June 2011, he participated in a tournament between teams of different communities and was voted one of the top 20 players. On the same day, he received an invitation to train at the Black Pearl Football Academy. The young player has high expectations: “During the internship, I hope to improve my game to be able to help my family and maybe even my country.” And he has a clear idea of how he will achieve this goal: “Firstly, one must believe in God. Then always seek to improve. That’s why you must really like what you do in order to succeed.”

    From when he was 8 until his 16 years age, Ricardo Jasinthe, 17, trained at the football school at Club Athletic d’Haiti. In November 2011, during a match between his team and the Black Pearl team, the Viva Rio coaches were immediately drawn to his talent and invited him to train at the Black Pearl Academy. “Football is a creation of God meant to change the lives of young people,” says Ricardo. Fan of the Brazilian player Thiago Silva, he says he will take this internship opportunity in order to increasingly improve in football. “And, who knows, maybe I could even continue training in Brazil and play with Brazilians?”. For fellow Haitians who have the same dream as he does, he sends this message: “You can’t get discouraged. We must have hope and willpower to fight and realize our dreams. ”

    Black Pearl Football Academy is the result of a partnership between Viva Rio and the Haitian Football Federation (FHF). It aims to contribute to the professionalization of this sport in Haiti.
    Comments 1 Comment
    1. bana2166's Avatar
      bana2166 -

      Longe da miséria, jovens haitianos ganham oportunidade no Audax-SP

      Com apoio do projeto Viva Rio, Ricardo Jasinthe e Mackenson Fenelon superam o drama do terrível terremoto de 2010 e dão início ao sonho de jogar no futebol brasileiro


      O Haiti está longe de ser o país do futebol, mas pode ter no esporte, graças ao projeto Viva Rio, esperança de futuro para jovens que, em grande parte, vivem em condição extrema de pobreza.

      Com apoio da Federação Haitiana de Futebol (FHF) e da Fifa, a ONG brasileira gerencia a Academia de Futebol Pérolas Negras, de olho na profissionalização do esporte mais popular do mundo no país mais pobre da América Latina.

      A ideia de investir no futebol surgiu dias depois do assustador terremoto que varreu a capital Porto Príncipe em janeiro de 2010. Na ocasião, 200 mil pessoas morreram e cerca de 1 milhão ficaram desalojadas.

      Pouco mais de dois anos após a tragédia, dois garotos do Pérolas Negras começam a colher os frutos da ação social. Ricardo Jasinthe, 17 anos, e Mackenson Fenelon, 14, chegaram ao Brasil na última semana para um período de treinos e aulas de português no Audax-SP.

      Zagueiro e fã de Thiago Silva, Ricardo vai integrar a categoria juvenil. Se há dois anos ele chorava a perda de pessoas próximas, hoje ele vive a expectativa de jogar a Copa São Paulo de Futebol Júnior em 2013.

      – Estou feliz com a chance de iniciar o sonho de ser jogador de futebol. Quem sabe, no futuro, eu possa ajudar minha família e ter sucesso como profissional. Hoje, minha família é o Fenelon. Queremos nos tornar os orgulhos do Haiti – declarou.

      Tímido e de família humilde, Fenelon sequer tinha uma chuteira antes de conhecer o Pérolas Negras. Mas para o meia as dificuldades ficaram no passado. Apesar da timidez, ele tem personalidade forte.

      – Não gosto do Neymar, acho que ele enfeita muito. Mas cada atleta joga de uma maneira. Quero mostrar o meu valor aqui no Brasil e provar que os haitianos têm qualidade – disse o jovem, que vai atuar na divisão infantil.

      Juntos, Ricardo Jasinthe e Mackenson Fenelon representam a esperança para o sofrido povo haitiano. São verdadeiras pérolas negras prontas para brilhar.

      Bate-Bola - Coronel Ubiratan Angelo (Coordenador do Viva Rio no Haiti)

      LANCENET!: Como surgiu o projeto de investir no futebol haitiano?
      Ubiratan Angelo: A paixão do povo haitiano pelo futebol é uma coisa espetacular. Eles são apaixonados pelo Brasil. Pensando nessa paixão, resolvemos investir no esporte e, assim, aumentar o leque de oportunidades profissionais no país. Com parcerias, começamos a buscar e potencializar novos talentos.

      LNET!: Acredita no talento do jogador haitiano? Eles têm qualidade?
      UA: O Haiti é conhecido pelo futebol de rua. Lá, temos campeonatos nacionais desta modalidade. Eles têm um jeito alegre e descontraído de jogar bola. Existem diversas pérolas negras dentro das ostras no Haiti. Queremos achá-las.

      LNET!: O Ricardo e o Fenelon têm noção da oportunidade que receberam?
      UA: Eles são jovens e querem crescer na vida. Os dois não têm a perfeita noção da oportunidade, mas entenderam a mudança. Eles já sonham em trazer as famílias pra cá. Com determinção, eles sabem que podem garantir o futuro aqui.

      Com a palavra (Thiago Scuro - Gerente executivo do Audax-SP)

      "Foi uma grande honra para o Audax ser convidado pelo projeto Viva Rio para conhecer e compartilhar nossas práticas na formação de atletas com o Pérolas Negras. Cheguei no Haiti e me deparei com um pais destruído, com grande parte da sua população em condição sub humanas. No meio dessa adversidade, encontrei o Pérolas Negras, com centro de treinamento equipado com campos, academia, refeitório, alojamentos, escola e, principalmente, bons profissionais desenvolvendo o trabalho de formação do cidadão e atleta.

      Durante uma semana pude observar treinamentos, jogos e o comportamento dos jovens em formação. Juntamente com a comissão técnica do Pérolas e as observações realizadas, definimos a vinda do Ricardo e do Fenelon para o Audax-SP. Espero que eles possam aproveitar ao máximo essa experiência de vida e esportiva, e que possa ser o primeiro passo de muitos outros que daremos em parcerias com a Viva Rio."

      Viva Rio no Haiti

      Projeto
      Desde 2004, a ONG participa de uma missão de paz no Haiti. A instituição já promoveu a assinatura de cinco acordos de paz entre grupos rivais e desenvolve programas nas áreas de segurança, educação, saúde, meio ambiente, cultura e esporte.

      Pérolas Negras
      Na área esportiva, o Viva Rio adminstra a Academia de Futebol Pérolas Negras, que conta com três parceiros: Fifa, Federação Haitiana de Futebol e Audax-SP. A ideia é formar novos talentos dentro do futebol.


      http://www.lancenet.com.br/futebol/m...786521356.html